BTA

O câncer de bexiga é um dos tipos de tumor de maior incidência no Brasil. Afeta principalmente homens entre 50 e 70 anos de idade, fumantes e pessoas expostas a substâncias químicas, como tintas, couro e borracha.
Segundo as estatísticas, 1 em cada 5 pacientes diagnosticados com esse tipo de câncer tem expectativa de vida de cerca de 5 anos. No entanto, se o diagnóstico for precoce, a taxa de sobrevida nesse mesmo período sobe de 20% para 94%.

Entre os sinais clínicos de câncer de bexiga, o mais freqüente é a hematúria, mas outros sintomas - como aumento da freqüência urinária, dores pélvica e suprapúbica, obstrução urinária e micro-hematúria - podem também se manifestar.

Aproximadamente 80% dos tumores de bexiga são de células transicionais e estão restritos, em sua maioria, à superfície mu-cosa, podendo ser resolvidos por meio de ressecções transuretrais.

A detecção precoce do câncer de bexiga é essencial para se aumentar a sobrevida de pacientes portadores da entidade mórbida. A recorrência desse tumor pode se dar em cerca de 50% dos pacientes tratados, o que torna essencial o monitoramento a longo prazo.

A observação da recorrência do tumor em pacientes com diagnóstico prévio de câncer de bexiga tem sido feita por meio da cistoscopia, podendo ser suplementada, em alguns casos, pela citologia de amostra da urina ou do escovado da bexiga. Entretanto, no que diz respeito à monitoração, a citologia é um exame sensível para os tumores pouco diferenciados (alto grau) e pouco sensível para os bem diferenciados (baixo grau). Por esse motivo, têm-se procurado outros testes de maior sensibilidade que possam suplementar ou mesmo substituir os exames existentes.

O teste ideal para o diagnóstico e o monitoramento de pacientes com câncer de bexiga deve ser rápido, de fácil realização, além de possuir sensibilidade e especificidade altas. Estudos mostraram que a detecção do BTA (bladder tissue antigen) é significativamente mais sensível do que a citologia, não importando o estágio ou o grau do tumor de bexiga.

O antígeno do tumor da bexiga reconhecido pelos anticorpos no teste BTA foi inicialmente isolado da urina de pacientes com neoplasia de bexiga confirmada histologicamente. Não é reconhecido na maioria dos indivíduos normais e em pessoas com outras patologias do trato urinário. A especificidade do teste se mostrou equivalente à da citologia em indivíduos normais. Além de ser um teste não-invasivo que utiliza como material apenas uma pequena amostra isolada de urina, estudos comprovaram que o BTA é significativamente mais sensível do que a citologia, sejam quais forem o estágio ou o grau do tumor.